28 de dezembro de 2011

Meu menino


Se fim de ano já é momento de revisão de vida obrigatória, imagine quando a própria pessoa e o único filho fazem aniversário ao apagar das luzes de dezembro. É muita avaliação a fazer, registros a contabilizar na memória e escolhas de quais devem ser devidamente apagados.

Também é forçoso pensar no quanto o tempo passa, e rápido. O filhote completa hoje 14 anos. Tem surpreendido família e amigos pelo tamanho – já maior que eu – e pela voz grave. Namora, se vira sozinho, age perfeitamente como um rapaz desta idade, sem deixar de lado aquelas manias desagradáveis e ao mesmo tempo engraçadas de todos adolescentes: preguiça, desorganização, internet, internet e internet.

São dois capricornianos juntos, sob o mesmo teto. Algo que merece cuidado no dia a dia. E aos poucos vamos aprendendo a conviver como gente grande. Afinal, nos tornamos cúmplices em quase tudo, depois que a vida deu uma guinada e fez com que vivêssemos um para o outro durante muitos anos.

A primeira vez que pensei na maternidade, ainda muito jovem, me vi mãe de um menino. Quando soube o resultado do exame de gravidez, sussurrei “meu menino está vindo aí”, e não me enganei. Pouco depois de ele completar dois anos, passamos a ser eu por ele e ele por mim. Dividimos dificuldades, choros, perdas, saudades. Crescemos lado a lado, compartilhamos segredos (e quantos). Sofremos. Vivemos momentos agudos, nos perdemos, nos encontramos novamente e nos perdoamos. Nos amamos profundamente.

Costumamos rir muito das incontáveis situações em que nos comunicamos por pensamento: ele pensa; eu falo. Eu penso; ele liga. E vice-versa. Vemos uma cena em que um sabe o que o outro vai dizer a respeito, e trocamos olhares, e daí saem boas gargalhadas.

À zero hora de ontem entrou no meu quarto saltitante, batendo palmas, mergulhou na minha cama e me deu feliz aniversário. Encheu-me de beijos, me abraçou, e senti tantos anos naquele abraço. Senti muitos momentos de solidão, medo, desespero até, pela responsabilidade em educá-lo, fazer dele um homem de caráter, educado, honesto, digno, respeitoso com seu próximo, livre de preconceitos e de prisões emocionais. Estou conseguindo.

Quando pensei que o câncer fosse me tirar a vida, rezei a Deus para que me permitisse ficar um pouco mais por aqui, se merecesse, para vê-lo crescer e se tornar tudo isso. E ele sabe que foi e é a grande força que me mobilizou a lutar.

Sem querer ser piegas, mas já sendo, ele é o cara e eu sou a mãe mais bobona do mundo. E, pra mim, esta é a melhor forma de comemorar estes 14 anos. Escrevendo, registrando o resumo de tantos momentos antagônicos, que formam a relação mãe-filho. E como qualquer mãe diria no meu lugar, a minha com ele é pra lá de especial. Que seja sempre.

11 comentários:

Vladimir Ramos disse...

Gio. Uma declaração perfeita de amor. Apesar da distância e do pouco convívio, agradeço a Deus, todos os dias, por ter vocês em minha vida!
Um abração em Caio. Feliz Aniversário!!!!!!!

Ricardo Vieira disse...

Que lindo, Giovana. Emocionante. Um dia ainda vou sentir alguma coisa parecida!

Débora Costa ; disse...

Giovanna,
acompanho seu blog há um certo tempo e gosto muito de suas crônicas. Há alguns meses comecei um blog pois também gosto muito de escrever. Gostaria que, se possível, lesse um dos meus textos e me desse sua opinião sincera.

Grata

Débora Costa

http://www.rienpersonnel.com/

Genis disse...

Ai, que lindo!
Fiquei imaginando eu e meu pequeno JM...
Parabéns aos dois! Amo vcs!

Jader Moraes disse...

Ah, Giovana... lindo, emocionante! Caio é um homem de sorte, você é uma mulher de sorte. Linda família!

Revista Alegria Alegria disse...

Olá Bela!
Diante de tudo que escrveu, só posso dizer:Que assim seja!
Já amo muito vcs. Parabéns ao seu anjo, com muitos anos de vida e saúde prá dar e vender...

Joiva Egalon disse...

Simplesmente LINDO. O amor incondicional de amor é a coisa mais linda do mundo. E para um filho acredito que não há nenhum presente melhor que este.

Elaine Carvalho disse...

Giovana, Parabéns! pelo aniversário, pelo texto, pelo filho e pela Vida. Deus te presenteará com muitos momentos como este e a nós, com textos lindos e escritos com tanta alegria e delicadeza. PARABÉNS e um 2012 de muita luz.

Carol Cunha disse...

CAIOU!!!!!! CAIOU!!!! Menino lindo, especial, encantador!!! Me apaixonei por ele assim que o conheci, quando ele ainda tinha 3 anos de idade!! Loirinho, bocão... Cabelos cheios, fofo de tudo!! Depois cresceu, caiu no rock'n roll e tive o privilégio de tê-lo ao meu lado no show do Guns, minha banda de adolescência favorita!! Foi um dos programas mais geniais e cheios de aventura que fiz e éramos só Caiou e eu!! Muito bom!! Menino de ouro, mãe dourada!!
Bjocas para os dois!!

Carlucio Bicudo disse...

Bela história de vida!
Nada como carinho de mãe, para escrever com carinho,letras de amor.
Parabéns!

Thayra Azevedo ♥ disse...

Simplesmente maravilhoso... as palavras, a relação de vocês. É possível imaginar essa linda história de amor e cumplicidade.
Olho para o céu e peço a Deus para poder viver uma história de amor com meus filhos. Grande exemplo. Parabéns, é verdadeiramente apaixonante essa família.
Deus abençoe, sempre!