13 de fevereiro de 2012

Êita, Carnaval!


Lá vamos novamente abraçar o reinado de Momo naquele recanto favorito a beira-mar, cercado de mata atlântica. Fazer nada durante o dia e brincar atrás dos blocos à noite. Jiboiar ao sol (será?) ou à sombra da amendoeira no quiosque, sentir o cheiro do vento que vem das águas, cerveja gelada e pastel de camarão. Vamos nos divertir com os garçons que se derretem de boa vontade, mas não conseguem diferir água mineral de água tônica. São uns fofos! Mas só é possível chamá-los assim quem tem a compreensão necessária para estar, sem estressar, sem exigir, apenas estar, pelo simples prazer de... estar.

Não faço planos de me acabar no Carnaval, encher a cara, varar a madrugada, passar os dias em frenética programação foliã. O que mais preciso agora é desligar, portanto quero somente o descanso que a festa me proporciona, apreciar e dançar ao som das bandas de excelente qualidade que acompanham os blocos, pois cantar é bom, sambar é bom demais, deixar a mente esvaziar temporariamente dos rumores diários é melhor ainda. Nenhuma novidade a mais.

Não é possível me esconder das questões mais íntimas que me assombram nos últimos dias. Não é possível retirá-las da agenda. Não é possível simplesmente dizer ‘não as quero’. Mas me é permitido, sim, pedir um tempo, mais ou menos assim: “Vocês fiquem todas aqui quietinhas em Volta Redonda; nada de virem atrás de mim. Fiquem bem comportadinhas, que em poucos dias estarei aqui novamente. Caso alguma de vocês queira fazer as malas e partir, tudo bem, não vou me importar. Mas se fazem questão de me esperar para continuarmos nossas formulações, sem problemas. Retorno mais calma, com certeza, para poder olhar a todas firmemente e me resolver com cada uma”. Ah, que lindo isso!

É exatamente isso o que quero dizer com ‘esvaziar a mente dos rumores diários’, que não são poucos. Somando todos, se fossem mesmo me aguardar comportados em casa, ocupariam os dois sofás, as camas, as cadeiras da cozinha, os tamboretes e o banco da varanda. Imagino um a um personificado, com a cara emburrada, me aguardando. Louca, né? Pois é assim que eles me deixam, a ponto de não me largarem nem durante o sono. Ô, noites difíceis as do último fim de semana, credo.

Ansiedade. Expectativa. Criança esperando ansiosamente a festa de aniversário. Eu, igualzinha, a contar os dias para chegar a sexta, e depois o sábado...
.

2 comentários:

cintia sibucs disse...

Não imagino vc sendo foliã! Rsrrsr!
Mas sempre é bom cantar pra espantar os males. Vai fundo!!!

Bjs e boa viagem!

Carol Cunha disse...

Adoraria pular(mesmo) o carnaval!! ADOOOOOROO MUITÃO!! Mas este ano, serei uma completa nerd em retiro!! Já tô branca, branca, do tipo, "apaguem as luzes, por favor!!" e cheia de "serviço" pra fazer no computador!! Ou seja... O meu "cidade maravilhosa" deste ano será estudando... Mas para o ano que vem estou preparando algo especial: A Marques de Sapucaí me espera, e na passarela!! Aêêê garota!!! hahahahah Bjocas e bom descanso, passeio, pastel de camarão, cerveja gelada... E que seus "Charlies" não lhe acompanhem!! ;)