7 de maio de 2009

Escrevo, mesmo sem ter nada pra falar

(Aprendendo com o Jader)

Li hoje no blog de um grande amigo, Jader Moraes, que ele estava aproveitando os poucos minutos que lhe sobravam no dia pra passar lá, naquele espaço, e escrever só um pouquinho como o próprio Jader. Com tantas atribulações de estudante de jornalismo, militante sócio político e estagiário numa redação de jornal, sobra-lha pouco tempo para ser ele mesmo e escrever no seu blog.

Pois foi ele quem me animou a escrever novamente, mesmo que pouco. Não ando atribulada, ao contrário. Tenho repousado mais que qualquer coisa, apesar de não ter me licenciado pra me tratar do câncer de mama. Faço minhas sessões de quimioterapia, fico em casa durante a ‘escuridão’, como costumo chamar os dias de enjoos e vômitos, e depois retomo a rotina quase normal de trabalho, porém sem acúmulo de atividades.

Mas, embora escrever seja a coisa que eu mais goste na vida, é justamente o que pouco tenho conseguido fazer desde que me descobri com esse problema. Continuo lendo, pesquisando, acompanhando os blogs dos amigos, comentando, mas dei um stop na minha produção. A mente fica tão totalmente voltada pra dentro, que é difícil olhar em volta e encontrar um tema pra uma crônica.

Por isso o Jader me animou. Hoje escrevo, simplesmente, porque estou com vontade de escrever, sem que para isso necessite de um assunto específico. Escrevo pra dizer que ando assim meio pra baixo uns dias, pra cima em outros; pra desabafar nas teclas minha saudade de dias mais normais, sem enjoos, sem esse cansaço anêmico, sem susto a cada vez que me vejo careca no espelho. Escrevo pra tentar recuperar meu velho bom humor, pra não deixar que minha criatividade se esgote, pra que eu não fique embotada e esqueça como se faz isso que faço agora.

O Jader é um grande cara; um ex-aluno com quem estou sempre aprendendo e ele nem sabe disso. Logo eu, que defendo tanto a liberdade, fico aqui, presa à obrigação de ter um tema para escrever. Escrevo porque escrevo e pronto.

.

8 comentários:

elaine bertone disse...

Oi minha linda... eu é que não estou produzindo nada de pessoal no meu blog, por isso o seu texto me veio como um puxão de orelha... Hoje mesmo bloguei um texto de Rubem Alves, será que você conhece? Já que está tendo tempo de sobra passa lá, viu?
Espero que saiba do meu carinho e da minha admiração por você, pelos seus ideais, pela sua profissão, pela sua luta e preocupações cotidianas...
Isso pelo qual você está passando agora é apenas mais uma de suas batalhas, que certamente só servirá para lhe deixar ainda mais forte do que é... Um grande beijo!

Rildo Barros disse...

Admiro como vc consegue escrever por escrever, pq estou precisando escrever no meu blog e não consigo. Queria conseguir apenas falar do cotidiano, de coisas simples, mas não tenho conseguido.
Parabéns!
bjo

Giovana Damaceno disse...

Recebi por email, do meu amigo, super amigo, Calino: "Oi amiga,
mesmo não tendo nada para falar, fale, escreva, apareça, dê notícias, mande recado, telefone, envie telegrama, bilhetinhos, orkut, grite, solte até sinal de fumaça.
Teus amigos te amam e sentem tua falta. (Eu inclusive).
Calino"

POESIA EM VOLTA disse...

Nem sei se você tem ido no meu blog, mas ando meio carente de escrever também. Tenho sentindo necessidade de falar mesmo, ao vivo, e não consigo. Mil beijos!

cintia sibucs disse...

nossa, gi! acho q vc vai fazer uma revolução nos blogs, heim?
todo mundo seguindo seu exemplo e começando a escrever o que está preso ou escrever mesmo estando sem tempo!
adorei!
bjs pra vc
^.^

obs: recado pros que tem pouco tempo e usam o blogspot. ele tem a opção de postar por email! basta ir em coifigurações/e-mail e celular/opções de postagem!

Anônimo disse...

Giovana, Escreva mesmo sem as letras.Deixe sempre o seu recado falando, gritando, desenhando, cantando, arrume um jeito de comunicar, o seu maior talento.
Te adoro, Andréa

Thayra Azevedo ♥ disse...

Gio minha linda, tente usufruir das palavras um momento de alegria, que te leve para cima e te ajude sempre. Com esse talento que envolve tanto e ensina muitos, faça com as palavras o que sentes, o que te faz bem. Como todos escreveram, não importa a maneira que revele sua alma, se a faz bem. Faça.

Você faz muita, muita falta aqui. És muito amada e, um exemplo de vida para todos.

Que Deus lhe dê a cada dia mais força e coragem, vamos vencer tudo isso. Amo muito você, florzinha!

Jader Moraes disse...

Titia!!!

escrever simplesmente por escrever: sem assunto, sem pretexto. É isso aí...

Te Adoro muito viu! Fico feliz que um texto meu tenha servido de inspiração para mais uma obra sua... fico muito feliz mesmo!

Força, querida!

Beijos