20 de julho de 2009

Estar careca

Este é, de cara, o problema que povoa literalmente a cabeça de quem vai encarar um tratamento quimioterápico. O médico é enfático e frio: o cabelo vai cair, em torno do 17º dia, após a primeira sessão. Além de todas as expectativas comuns e desesperadas na sua cura, é impossível não pensar nisso. Putz, vou ter de encarar isso também. O que fazer?


No meu caso, sinceramente, perder minhas madeixas não chegou a ser uma grande preocupação. Na minha família a novidade mexeu um bocado com as mentes, principalmente da mulherada. Minha irmã até me ligou do Rio, pra me dizer que tinha visto umas perucas muito legais. Nada disso. Essa possibilidade foi descartada logo de início. Nada de fingir que tenho cabelo, quando todo o mundo sabe que não tenho, mas acaba fingindo que acredita que tenho. Sem chance; peruca, definitivamente, não.


Logo, logo arranjei um jeito de aumentar minha coleção de lenços, echarpes de seda e de lã (que se transformaram em lindos e coloridos turbantes), chapéus. Aliás, o episódio da compra dos chapéus é memorável. Tirei uma tarde para passear pelo Mercado Popular, atrás de chapéus novos, que tampassem bem a cabeça. E para comprá-los, claro, era preciso experimentar. E foi, um evento, pra mim, careca, no MercPop: tira um, coloca outro, olha no espelho, pergunta pra alguém ao lado se está bom, tira de novo, anda mais um pouco, e todo o mundo ali dentro acompanhando, de olhos meio arregalados, aquela careca desfilando pelos corredores, livre, leve e solta. Quem iria imaginar que um dia eu faria isso?!

Mas ficar careca é muito mais que perder as madeixas e tentar cobrir a pele. Ficar careca por conta da quimioterapia é perder pelos no corpo todo. Repito: no corpo todo. Que me invejem as mulheres pelo menos nisso, pois há três meses não me preocupo com depilação, em nenhum lugar do corpo. Toda a superfície corporal está lisa, pelo menos até o final de agosto, quando imagino, pelas contas do médico, já terá alguma coisa nascendo novamente.

Também há os incômodos, como por exemplo, os cílios. Não é incômodo ficar sem eles; já que têm de cair, que seja assim. Mas, porque caem pra dentro dos olhos? Isso tem me dado um trabalho danado. Até mesmo os fios da sobrancelha, na hora em que resolvem despencar, o fazem pra dentro dos olhos. Aí vou eu correndo à frente do espelho pra tentar achar e retirar. Acontece que uso óculos pra perto, então a dificuldade é ainda maior... Caraca!

Aliás, olhar no espelho tem sido sempre uma surpresa. Por não me acostumar a esse novo visual (quem se acostuma fácil a isso?), acabo por esquecer que estou assim. E quando entro no meu quarto e dou de cara com minha figura relfetida lá, o crânio redondinho exposto, confesso que levo alguns segundos para registrar a informação.

Meu cabelo não caiu totalmente. Tem gente que fica com a cabeça lisa como um ovo. Eu não. Alguns pelos ainda povoam meu couro, espetadinhos e em pé. Bem pouquinhos, é claro, mas estão lá. Acima das orelhas já não existem mais fios; caíram depois da quinta sessão.

Gostaria de saber dos carecas mesmo, dos homens que convivem com essa ausência, como se sentem. Nunca tive essa curiosidade até passar por essa experiência. Queria saber se eles têm a mesma sensação de liberdade que sinto quando entro embaixo do chuveiro, da água batendo e escorrendo no couro. A despreocupação de entrar com tudo. Sem contar o tempo de banho que diminui, pois basta passar o sabonete, como no resto do corpo. Nesses dias de frio tem sido estranho. Tomo banho muito quente e isso às vezes arde um pouco. Por falar em arder, é comum sentir isso no meu caso. Parece que os poros ficam abertos e que a pele também fica extremamente sensível. Alguns gorros de lã que ganhei de presente não pude usar. São apertadinhos, confortáveis, mas fazem arder a pele, infelizmente.

Por outro lado, a habilidade que se ganha é sensacional em alguns aspectos. Sempre gostei de acessórios pra cabeça. Todos. Mas não tinha grande jeito em amarrar lenços e turbantes. Atualmente faço isso em segundos, diante do espelho, com qualquer tira de pano pareceida com um echarpe. Com o pé nas costas, como dizem. Para a frente, para trás, de lado, laço comprido, curto, tira torcida, de qualquer jeito vai. E na hora da pressa é que vai de qualquer jeito mesmo. O engraçado é que sempre fica bom.

Bom, muito bom, mas esses tempos são quase findos, amém. Em breve faço a última sessão e em poucos dias depois as raízes já se preparam para virar fios novamente. Porém, experiência é sempre bem vinda, seja qual for. E, garanto, tenho tirado muita coisa boa desse período inusitado da minha vida. Uma senhora oportunidade!

.

15 comentários:

Cintia disse...

...e que experiência!
como eu já disse antes, vc agora é referência de força de vontade, otimismo e perseverança!
:]

POESIA EM VOLTA disse...

Esse evento no Mercado não foi filmado? Imagino a cena...inda bem que seu tmepo de semcabelo está acabando. Não é por causa da careca, é bom que vai acabar o tratamento! Beijos

Fernando de Barros disse...

Giovana
Realmente deixar a agua do banho é uma ótima sensação, mas quando a água vem da chuva é horrivel.
Nada para e a água fica caindo, caindo, caindo...

Beijos

Elrisa disse...

Você filmou a compra dos acessórios? Deve ter sido um evento se bem te conheço.
Você, hoje, prá mim, tem sido um espelho de força, coragem , humor e determinação. Alegre, mesmo nos momentos difíceis.
Obrigada.
Muita paz pra você.
Um beijo no seu coração.

Rick Fire disse...

Titia linda do meu Coração!!
Faz uns videos mostrando como que trança os lenços e poste no Youtube pra nossa diversão!!

TE AMO

Thaissa Costa disse...

Vc ganhou inúmeros pontos comigo com este post. Parabéns pela coragem e garra!

Anônimo disse...

Gi,
Sabia que acho você linda, né? Bom, mas sem sacanagem, não é que voc~e ficou bonita careca. Quem trabalha com forma vai me entender. Tem pessoas bonitas que não tem a forma da cabeça bonita, já percbeu? quando algum muito bonito corata o cabelo e não fica tão bonito porque o corte delineou a forma da cabeça e ferrou com a estrutura do rosto? Bom, se a experiência de ficar careca te serviu em muitas coisas, acrescenta aí: minha careca é bonita praca. Bjs e muitas muitas suadades. Falei com meu maigo Lincão que precisamos depois da última sessão tomar um porre e
e será justamente no evento mais importante de agosto: o meu aniversário, simplismente um clássico do médio paraíba.

Drika disse...

Giovana,
sempre admirei seu talento, sua maneira de externar suas idéias, sempre achei você cabeça, com e agora sem cabelo.
Boa sorte nesta etapa final do tratamento, Deus a abençoe e ao seu bom humor.
Beijoca.

Dani disse...

Olá..
Sou sua fã.
Pela defesa dos animais, pelo profissionalismo e agora pela força.
Fez bem... não pare sua rotina e pense no que realizou e no que tem a fazer. Suas paixões alimentam as suas forças.
um abraço, luz e fé em sua jornada.
além de mta mta saúde.
a Dani

Neide disse...

Amiga,
você é mesmo uma pessoa exemplo, sempre foi!!
Menina, enquanto ficamos a "rodar" igual tontos, tentando sobreviver com
"coisinhas" corriqueiras do dia a dia, você põe em prática a seu aprendizado milenar da força e fé em Deus, ninguém precisou falar com você o que tem que fazer, você foi fazendo e vai fazendo a "lição de casa" com muita garra e determinação!!
Agradeço à Deus, por ter o privilégio de tê-la como amiga!!
Beijos mil!

Rildo Barros disse...

Eu não esqueço uma cena da Carolina Dickmann, na novela Laços de Família, raspando a cabeça. Muito marcante, mas imagino que seja parte de exorcisar o problema, encarando de frente, para voltar a tona com toda saúde.
bjo

Frávia, a dona do brog disse...

Vamos marcar um dia pra você me dar umas aulas de amarração de lenços, bandanas e afins? Ow... eu acho LINDOOO, mas, desastrada e desajeitada que sou... furo os olhos, arranho a perna e não dou conta de amarrar nada!!!!! rsrsrs.
Adorei o bom humor do post...
Amo você!
Beijo, beijo

Lilian disse...

hoje me deparei visitando seu blogg, lendo então este depoimento, senti dentro de mim o quanto vc é forte e autêntica, mesmo sem conhece-la senti necessidade de comentar, parabéns e se Deus quiz assim é que ele tem algum propósito para vc, sorte e um grande bj..............

Anônimo disse...

olá, hj estava em busca de dicas para amarrar lenços, ja que estou carequinha rs... li seu depoimento e senti vontade de postar algo aqui, quero desejar a vc força e paz, que sei ja esta tendo, mas não faz mal algum um tiquinho mais né?! abraços de luz a vc! com carinho
fabiana batista.
e-mail - batista_fabiana@yahoo.com.br

cleide Feitoza disse...

Gostei e muito, passei pela mesma coisa a pouco tempo,mas preferi a peruca,não me entendia com o lenço,apesar de até simpatizar com minha peruquinha fico feliz de estar sem ela agora. Estou sempre a procura de novas histórias que nos faz sentir vitoriosas. A sua é uma.Parabéns!
Cleide