11 de setembro de 2010

Ela

Há seis anos escrevi um texto pra ela:

(...)Linda morena, leoa em nada selvagem, doce, tímida (...) a verdadeira rainha, que não é do lar, que não é do mundo. (...) És a mulher dos meus sonhos, minha mãe, minha irmã. Meu lume, meu porto seguro, meu espelho. Vida embrenhada na minha vida por laços de sangue e de amor. Minha admiração maior.

 
Ela se foi. Minha irmã me deixou.
Fica a saudade e a certeza de nos reencontrarmos um dia, para retomarmos nossas conversas intermináveis.
Estou órfã, mas sobrevivo, por ela, em homenagem a ela, sempre cheia de vida e de luz.
E de onde estiver, quando puder, iluminará meu caminho.
É bom acreditar nisso.
.

4 comentários:

Pé de Moça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pé de Moça disse...

Giovana,
Fiquei muito triste com a notícia.
No que precisar, estaremos aqui.
Fique com Deus.
Um super beijo

c i n t i a disse...

Saudade sim, tristeza não.

Fica faltando um pedaço, ne?

Bjs...

Leilimar disse...

Giovana,

Sinto muito, em certos momentos da vida ter fé e determinação para prosseguir é a melhor escolha. Se precisar, estarei aí na FOA ao seu lado no andar de cima, é só chamar.
Abs,
Leilimar