12 de janeiro de 2012

Restaurante japa ou churrascaria de sushi?

Sou exigente quando vou a restaurantes. Principalmente na observação do que é ou não condizente com o que se oferece. Não frequento estabelecimento fino, sofisticado, de cozinha renomada. Apenas os da minha cidade ou um e outro de fora. Porém, penso ser minimamente justo ser atendida de acordo com o que propagandeia a casa.

Adoro comida japonesa. Já curto alguns restaurantes de Volta Redonda que servem esta maravilha pro meu paladar, inclusive em locais não especializados, mas de qualidade irreparável neste serviço que até considero extra em alguns casos.

No fim de dezembro aceitei a sugestão de comemorar o aniversário do meu filho no espaço japa do Paulo do Peixe, cujo nome já fala tudo de sua tradição. No entanto, sinto dizer que no andar de cima ele ainda não acertou o passo.

Foi decepcionante a nossa noite. A única exceção é a comida, bem feita, fresca, peças pequenas, delicadas, tudo bem servido, nas quantidades corretas. De resto, nada deu certo, a começar pelo ambiente que mais parece o de uma churrascaria: TV ligada com volume incômodo (tenho horror a TV em restaurante), muita gente, muita gente falando alto, calor, muito calor. Ao nosso lado, um grupo de jovens ouvia música (?) num celular ligado em cima da mesa. Quem espera pelo espaço aconchegante e silencioso, típico dos tradicionais bistrôs de comida japonesa, é bom passar longe.

Do rodízio, curtimos pouco. A demora no serviço é tanta, que só conseguimos pedir duas rodadas. Mais de 30 minutos na primeira e quase 1 hora na segunda. Tive pena dos garçons. Passavam a impressão de não saber o que estavam fazendo ali. Tivemos que solicitar guardanapos a três deles. Após a primeira rodada, quando pedi para dar uma geral na mesa, recebi de volta um olhar incrédulo e tive de explicar que era para passar um paninho, recolher guardanapos usados, trocar os utensílios. Pasme: apenas o local onde eu estava foi limpo. O resto da mesa permaneceu do mesmo jeito. Chamei de novo e disse que o que fez para mim deveria fazer para todos. Meu filho só não ficou arrasado porque, repito, a comida é de boa qualidade, e mesmo com tanta demora, satisfez a vontade dele, que há meses me pedira japa de presente.

E, vamos combinar que comida japonesa é cara. É preciso ser muito bem atendido, muito bem servido e estar altamente confortável para deixar aquela grana no fim das contas.  Não vejo nada demais em pagar caro por algo que valha realmente a pena, mas no Paulo do Peixe não foi assim. Espero, de verdade, que tenha sido apenas uma noite de má sorte. A amiga que me indicou o restaurante já foi lá outras vezes e jura não ter passado por maus bocados. Quem sabe? Mas não pretendo arriscar uma segunda vez. 
.

9 comentários:

Anônimo disse...

Prezada Giovana, não é bem assim a qualidade do Paulo do Peixe. Vou te contar uma história: Um amigo foi ao restaurante numa sexta feira véspera de sua viagem familiar e ao comer peixe com molho tártaro, ele e toda a sua familia sofreu intoxicação alimentar. Entraram na justiça em Barra Mansa (se quiser ver o processo bas digitar o nome do bar na pagina do TJ) e o restaurante apresentou um laudo negando que o molho tartaro seria o causador da intoxicação. O detalhe é que o tal laudo foi assinado pela filha do Paulo,que é nutricionista.
O restaurante foi condenado a pagar indenização a familia deste meu amigo.
Nunca mais entrei lá. Morro de medo destas coisas de alimentação, especialmente peixes e comida japonesa. com relação ao atendimento, nunca foi bom mesmo, nada a acrescentar.

cintia sibucs disse...

Realmente não tivemos sorte...

Jaqueline Evelin disse...

Realmente, a sua amiga que teve sorte, porque eu tambem passaei muito mal quando comi japa lá. beijos

Anônimo disse...

É por isso que eu só faço programas gastronômicos no Jaburú, alí na Praça Brasil... rsrsrsr
Calino.

Anônimo disse...

Dizem que o Fronteiras (antogo Cenário) é muito bom ...ainda vou para experimentar...bjusss

lincoln disse...

...já não faz parte do meu gosto carne crua! É perigoso!

Carol Cunha disse...

Não experimentei o japa do Paulo do Peixe, mas o almoço self deles... Nossa!! Que horror!! Comida cara, quase nenhuma variedade e péssima aparência!!

Carol Cunha disse...

Ademais, depois da minha experiência no INCA, me tornei reticente quanto a carne crua. "Não moramos no Japão", me disse o oncologista. "Somos um país tropical, quente!! É pouco prudente optar por estes alimentos". Enfim, diante das circunstâncias, considerei.

Anônimo disse...

Fui lá 3 vezes e passei pela mesma situação...demora no atendimento...meu cunhado outra vez lá, sentou a mesa e ninguem apareceu para atende-lo ai ele ligou para o restaurante fez o pedido por telefone, quando perguntaram onde era a entrega ela respondeu: mesa 26. Ai apareceu o garçom todo sem graça...
a comida é boa mas do atendimento não posso disser o mesmo....