7 de outubro de 2011

Velhice desfigurada


O que seria melhor, em sua opinião: envelhecer com dignidade ou envelhecer estragado (a)? Vemos por aí milhares de idosos que escolheram envelhecer com dignidade e estão lotando os consultórios de nutricionistas, academias de ginástica, parques e pistas onde caminham, correm e andam de bicicleta. Para estes idosos, envelhecer estragado seria passar os últimos dias da vida prisioneiros de doenças degenerativas, mas eles preferiram investir na saúde e têm como resultado seus rostos felizes, olhos brilhantes e uma energia invejável.

Diferente, muito diferente das imagens com as quais me deparei recentemente em um portal na internet. Tratava-se de uma matéria em que o leitor podia avaliar os efeitos das cirurgias plásticas às quais muita gente se submete, na ilusão de que irá enganar a velhice. É tão lastimável, que chega a doer. Sério. Desde a nossa rainha do Conga La Conga (ao lado) até a atriz e cantora Cher, o que se vê é um festival de barbeiragens. Esse pessoal perde completamente a noção de qualquer coisa, pelo pavor de uma pseudofeiúra provocada pelo envelhecimento. Meu entendimento ainda não alcança estas profundezas; pra mim a vida é, sim, muito mais simples.

Muito me admiram mulheres que não só assumem a idade que têm, como se recusam a esconder a experiência que os anos marcam na face. Ao contrário, têm orgulho dos traços que a vida vai fazendo e encaram as transformações com naturalidade. Não falo aqui sobre não pintar o cabelo, não usar cremes antirugas ou não passar algumas horinhas por semana numa academia de musculação. O que me apavora e me deixa atônita é o indivíduo recortar e (re)costurar a cara toda e ainda acreditar que tal procedimento o tornará mais jovem. A piração é muito grande para chegar a tal ponto.

E é muito triste esta constatação. Triste porque vemos, literalmente na cara, aonde pode chegar a infelicidade do ser humano, o seu grau de insatisfação, de vida vazia. Que me perdoem os que não me compreendem e que veem nestas atitudes algo normal. Como disse acima, me entendimento não chega tão longe. Porém veja você mesmo, caro leitor, e reflita se você seria capaz. Em seguida, responda: o que é mesmo envelhecer estragado?

Donatella Versace
  Cher 
Michaela Romanini
 Jocelyn Wildenstein

Fotomontagem: iG

.

9 comentários:

Elaine Bertone disse...

Eu acho que a vaidade feminina é inegável e de repente alguns retoques pequenos como por exemplo cirurgia da pálpebra é algo saudável, pois além de melhorar a estética, favorece o caráter funcional das pálpebras, que em alguns casos, com a flacidez podem começar a cair sobre o campo da visão. Mas, de fato, a mulherada está pecando pelos excessos e com isso perdendo a própria identidade - o que não deixa de ser uma negação do seu próprio eu. Muito boa matéria, Giovana! bj

c i n t i a disse...

Essas fotos de antes e depois chegam a ser engraçadas! Mas de fato são tristes. Acredito que esse "medo de envelhecer" seria como uma doença, tipo um alcoolismo, uma bulimia... algo do tipo.
As pessoas (digo as pessoas pq muitos homens tb estão nessa lista) se preocupam tanto com a aparência e acabam se desfigurando e não percebem, se acham velhos e querem sempre mais!
Tão bonitinho um idoso natural, que se cuida sim, pq não, mas não quer aparentar ser anos mais jovem e assume o que é verdadeiramente física e emocionalmente.

Jaqueline Evelin disse...

Estava falando sobre isso ontem, até que ponto o ser humano vai se agredir, se multilar, para se sentir aceito? Vivemos hoje em uma sociedade escrava da estética, quando você foge dos padroes (assim como eu) você é agredido o tempo inteiro, na padaria, no onibus, em sua própria familia. Acredito que quando nos aceitamos e aceitamos nas diversidades da vida, quando percebemos que o tempo passa, e que podemos ser felizes com nossas novas companheiras (as ruguinhas..rsrsrsr... a barriguinha) nos tornamos belas não só aos nossos olhos, mas a qualquer olhar que cruze o nosso, e quando estragamos essa evolução, deixamos de receber olhares de admiração, para receber os de crítica. Não basta viver a vida, mas sim aceitá-la. Bjs, amei o texto.

Carol Bentes disse...

Credo!!!
isso não são seres humanos! sério.
é uma nova espécie de vida povoando a Terra!

Q triste, a pessoa se deixar levar pela aparência a esse ponto...

Prefiro envelhecer com dignidade e saúde. Pois dia a dia envelhecemos, não vai ser de uma hora pra outra q a plástica vai "arrumar" as marcas feitas pelo tempo.

Anônimo disse...

Certa ocasião, inventei uma frase que repito vez em quando: Cuidado com a mulher que não é vaidosa.
Com isso quero dizer que sou totalmente a favor da mulher (homens também) se cuidarem, tanto espiritual como físicamente, mas, por força de meu trabalho vejo coisas absolutamente exageradas, sem sentido, desequilibradas mesma. Tem gente que não tem senso de ridículo.
Calino.

Elisabeth disse...

... eu acho horrível ver pesssoas sem expressão, falando como robôs por conta de botox, plásticas... É de uma artificialidade que assusta!
Bjks

Kátia Almeida disse...

Envelhecer estragado? Para mim é perder tempo, dinheiro e correr riscos cirúrgicos desnecesssários. Quem faz esse tipo de cirurgias constantemente, sim porque depois que começam não podem mais parar,são doentes. Precisam de ajuda terapeutica. Não aceitam sua própria imagem. Convivo todos os dias com idosos bem saudáveis, que se cuidam para terem uma boa qualidade de vida, para aproveitarem o tempo em passeios, diversões saudáveis. Isso é saber viver! Aprendo tanto com elas(es)! No meu caso, só faço uma cirurgia, por recomendação médica, em caso de necessidade. Não vejo o porque de me internar, correr o risco de ser vítima de um erro médico, um "acidente", estar vulnerável a infecções e arriscar minha vida. Não preciso sentir dor para me sentir viva! Giovan, adorei seu texto!Bjkas!
p.s. Aplausos para a Cassia Kiss! Um belo exemplo do inverso dessa loucura!

Carol Cunha disse...

Tempos pós modernos esses!! Corpos excessivamente malhados, com volumes artificiais, fabricados em farmácia, manipulados em aparelhos de musculação. Viramos massinha de modelar!! Mulher, homen, não há distinção. Somos um único corpo - em geral o formato é até o mesmo!!Crianças já extremamente vaidosas, cabelos com apliques, luzes, mechas, esticados; unhas pintadas, salto alto... Me entristeço. O que há de errado com a nossa beleza genuína? Aquele conjunto de característica que herdamos, que nos fazem ser quem somos... Únicos! Nos tornamos todos iguais -e não tô falando de isonomia ou equidade!! Onde está aquela alegria da infância? Já estão implantando nelas o 'bichinho', as preocupações da cegueira, de quem não acordou para a beleza da vida, do tempo... Me socorro com Caê:
"És um senhor tão bonito, quanto a cara do meu filho... tempo tempo tempo tempo". Bjs

Drika disse...

Uma vez li uma frase bastante interessante: "Cuidado, Deus pode não te reconhecer".