27 de abril de 2011

Galã negro? Não pode.

O tema parece meio velho, de alguns meses atrás, mas como o que ocorreu comigo é recente, decidi comentar. Recebi um email cujo assunto era “Esse mundo tá perdido”. O conteúdo trazia uma pequena lista de situações consideradas despropositadas pelos remetentes da mensagem, coisas do tipo “Lula dá palestra”, “Fausto Silva magro” e blá blá blá. Porém, o que mais me chamou a atenção foi o primeiro item da lista: “Lázaro Ramos - galã”. Automaticamente cliquei em ‘Responder’ e perguntei ao meu amigo: “Lázaro Ramos não pode ser galã? Por que não?”. Um tempo depois meu amigo retornou a mensagem, falamos rapidamente o que questionei, expliquei que sou intolerante com a intolerância e encerramos a conversa ali.

Nós encerramos, mas a conversa não. Cometi um erro, que me rendeu a continuação da pendenga. Ao clicar em ‘Responder’, me distraí e optei por ‘Responder a todos’ e qual não foi minha surpresa ao receber uma mensagem de uma das pessoas da lista de emails enviados, me chamando de racista. Hã? Racista, eu? Pior: a pessoa, que parecia fula da vida, continuava a argumentar que Lázaro Ramos não poderia ser galã porque a personagem dele na novela das nove da TV Globo, "Insensato Coração", é um usurpador, arrogante, irresponsável e mais blá blá blá. Além de ser negro e rico, esqueceu de dizer.

Não assisto à novela e nem a nenhuma outra atualmente. Portanto não posso saber se o ator em questão é mesmo o que diz a mensagem que recebi. Há até um site na internet que propõe a votação do galã de “Insensato Coração”, e está lá, o ator Gabriel Braga Nunes entre os candidatos. E pelo pouco que sei, ele é o podre vilão da tal novela.

Conheço o histórico dos folhetins e sei, como você também, caro leitor, que não é preciso ser o mocinho para ser o galã. Segundo os dicionários atuais, galã é o “termo dado a um ator principal de um filme ou novela que se destaca por sua beleza física/ personagem ou ator que tem o papel decisivo nas intrigas amorosas/ protagonista”. Neste caso, não importa o perfil da personagem, sinto informar aos insatisfeitos que Lázaro Ramos pode ser, sim, galã. E não só eu afirmo isso. Pesquisa feita pela Retrato Consultoria & Marketing, ele é aprovado nesta categoria por 66,8% das pessoas consultadas.

É só puxar na memória que vamos encontrar muitos atores considerados galãs nas novelas da TV Globo e que foram vilões sensacionais: Tarcísio Meira, Francisco Cuoco, Tony Ramos, Antônio Fagundes, Thiago Lacerda, José Mayer, Reynaldo Gianecchini (esse bem recente). E não há um negro nesta lista, já que até então este perfil não fazia parte do padrão de beleza exigido pela indústria cultural, principalmente a de TV, no Brasil. Mas permite-se o galã negro internacional. Denzel Washington ou Will Smith no cinema americano podem ser o que quiserem.

Insensato Coração já está no ar há três meses, quer o público aceite ou não, o cara é protagonista/ galã, mas a galera do lado de lá permanece no esperneio. Lázaro Ramos pode ser qualquer coisa, porque é um ótimo ator, mas galã, não, porque é negro, e por isso deve ser feio, tem lábios grossos demais, não chega aos pés dos outros, brancos, a personagem que ele encarna é intragável e tome blá blá blá. É isso, né? E eu sou racista. Então, tá.
.

9 comentários:

GiovaniMiguez.com disse...

Giovana, negro ou branco o pior nessa história toda é que continuamos a aplaudir e as novelas a reforçar comportamentos que deveriam ser tidos como estranhos. O cara usa as mulheres como objeto e todo mundo acha o máximo. Num mundo sério ele deveria ser chamado de canalha e não de galã! Belo texto. parabéns!!! Giovani

Katia Zanvettor disse...

Perfeito! Chega, né? Ninguém aguenta mais discurso moralista e racista!

Carol Bentes disse...

Não assito a novela, mas pelas propagandas que vi, parece que o personagem dele é bem mulherengo. Entretanto, isso não impede ele de ser galã, afinal, já vi muitos assim.
Tem gente aí confundindo galã com mocinho! Tem gnt aí mto equivocado sobre o que é racismo...


Giovana, vc já conhece o Projeto #EuSougay? Começou com duas pessoas cansadas da intolerância com as diferenças, não só com os homossexuais, mas com todos aqueles que são alvos de discriminação.
Dps dá uma lida lá:
http://projetoeusougay.wordpress.com/

Genis disse...

Gi, saudades....

Eu tb recebi esse email e é claro que se trata de preconceito sim!
O papel dele é de um cara "comedor" e que não tá nem aí pra mulherada (amor e tals), mas já vimos outros personagens assim que ninguém criticava pela cor da pele.
Eu tenho visto a novelinha de vez em qdo.
Bjs e adoro receber as notícias do seu blog por email.
Peço que envie agora pra outra conta, pois a do hotmail quase num tô acessando
genislene_l@yahoo.com.br

Beijão no nosso filhote aí!

Albucacys disse...

Interessante, muito interessante. As pessoas, de maneira geral, não percebem que o "pré-conceito" é uma crença interna - Longe de estudarmos suas origens.
Já admirava o ator pelos vários papéis que o vi representar, com louvor. Certamente por isso é que foi convidado para protagonizar a novela, como alguns filmes.
Quando vi um ou outro trechos dos capítulos da novela em questão, não gostei o personagem e logo identifiquei porquê. Atuava tão bem que dificultava discernir ator de personagem, como Denzel Washington em "Dia de Treinamento" - 2001, que lhe rendeu o Oscar de melhor ator.

Loirinha Linda disse...

Você está certa, quem tem preconceito são essas pessoas que enviam e reenviam esses tipos de e-mail.Bj

GIL ROSZA disse...

Os altos índices de audiência tanto do SBT quanto os da Record mostram que o público brasileiro adora quando negros dublados aparecem numa situação engraçada e caricata como os Banks, os Kyle e os Rock, mas acha estranho quando negros brasileiros fazem papéis sérios, como personagens que não fazem graça, são competentes, inteligentes e ricos.
Durante muitos anos, o Gande Otelo, o Mussum e o Tião Macalé figuraram como estereótipos televisivos inofensivos e aceitáveis da negritude brasileira, ou seja, risonhos, miseráveis, apatetados, alcoólatras e desdentados! Fico pensando qual será o destemido roteirista e a rede de TV disposta corajosamente a escrever e produzir mais papeis onde protagonistas negros mostrassem muitas outras caras que não a de um Zé Pequeno, um Acerola ou um Laranjinha?

Luciano Neto disse...

Eu adoro música negra, eu adoro chocolate, eu adoro bebida negra ( tipo coca-cola ), eu adoro asfalto negro, eu adoro a noite pq ela é negra, eu adoro a religião dos negros, eu adoro mulheres negra, eu adoro quarto escuro, eu adoro a cor negra. Podem chamar do que quiser, tô nem aí.

obs: sou branco azedo.

Pietro Schimith disse...

Não tenho medo de falar. Nossa sociedade mulata é educada com o padrão de beleza europeu. E falo por mim, mestiço que sou, não consigo enxergar beleza em alguns traços da raça negra. Pois as mulheres negras mais lindas que conheço, tem os traços europeus. Acho que sim, que isso é racismo, é inconsciente talvez, mas é racismo.
Espero que Lazaro Ramos com sua boca avantajada, sua cabeça esquisita, seus traços mesmo muito negrode raíz, continue sendo o galã da novela das 9, pra quebrar esse paradigma que a gente tem.
Viva a negritude minha gente, simbora negada.