16 de novembro de 2010

Do fundo de quintal para a praça pública

Com muita coragem para deixar de ser gueto

Volta Redonda foi palco de um encontro histórico e tudo indica que deverá constar do calendário de eventos por muitos e muitos anos. Assistimos, surpresos e felizes, à 1ª Semana Umbandista da cidade, no Memorial Zumbi, no último fim de semana.

Assistimos surpresos porque o preconceito e a intolerância religiosa são tão opressivos que o povo de santo está sempre relegado ao fundo de quintal, escondido dentro de seus terreiros, por medo de agressões e humilhações. Eles saíram desses guetos e mostraram suas caras. Cantaram seus pontos em praça pública e incorporaram seus caboclos e pretos-velhos, sem nenhum constrangimento.

Assistimos felizes porque o povo de santo é lindo, o ritual umbandista, além de sério e digno de muito respeito, é uma manifestação cultural que merece aplausos de pé. E mais felizes ainda porque pudemos presenciar mais de 100 médiuns numa gira que reuniu representantes de várias casas de umbanda da região e até de São Paulo. Confesso que fiquei boquiaberta e muito, muito emocionada.

Há anos acompanho as religiões de raiz africana na região e vejo o quanto os pais, mães e filhos de fé trabalham por suas comunidades, o quanto se faz caridade nos terreiros, mas sempre às escondidas. Observo com nariz torcido a grande quantidade de pessoas, de outros cultos, que procuram os terreiros em busca de consultas e de conforto, e que também se escondem, atrás da própria hipocrisia. E as entidades espirituais os recebem com carinho, atenção, muito amor.

E estava lá, gente de toda cor, de toda classe social, de várias profissões, vindas de vários cantos, mostrando a cara e batendo no peito com orgulho de ser umbandista. Essa mesma gente que recebe as entidades espirituais que confortam tantas outras gentes. Gente como Mãe Sandra Mara, do Templo de Umbanda Luz Divina, e Lílian Werneck, do Movimento das Religiões de Matriz Afro – Morema, incansáveis na tarefa de levar a umbanda para a rua. São elas, e todos os que pude ver no Memorial Zumbi, os responsáveis por esse importante passo em direção à liberdade. Parabéns. Agradeço a eles por fazerem a minha cidade um pouco melhor.



 Mostra sobre a história da Umbanda

 Venda de literatura específica

 Apresentação de dança flamenca

 Atabaques: um show à parte

Uma festa memorável

4 comentários:

SANDRA MACUMBEIRA disse...

OLÁ GIOVANA!!!! MUITO OBRIGADA POR TER ESTADO CONOSCO NESTA MISSÃO DE DIVULGAR A UMBANDA - "UMA RELIGIÃO QUE PRATICA A CARIDADE E SÓ QUER O BEM DE TODOS". QUE PAI OXALÁ LHE ABENÇÕE E QUE SEU FUTURO SEJA PROSPERO.....MUITO AXÉ
MÃE SANDRA

Tainah disse...

Giovana,
como profissional de comunicação e integrante da equipe de divulgaçao do evento, agradeço de coração pelo post. Fico muito feliz e faço das palavras da minha mãe Sandra as minhas. Que Mãe Oxum, te cubra com seu manto de amor e derrame suas aguas abençoadas sobre vc. Axé!
Tainah Coutinho

Anônimo disse...

É isso que esperamos de todos... força, coragem e fé! Assim como todas outras religiões, podemos professar nossa fé em praça pública sim!
Saravá nossa Umbanda Querida e Amada!
Obrigada ao Templo de Umbanda Luz Divina por essa iniciativa!

Vívian Werneck disse...

Obrigada sempre pela força, carinho e atenção, Giovana!!! Oxalá ilumine seu caminho!

Vivian Werneck
www.umbandavr.blogspot.com