29 de abril de 2010

Diante de um mar de sossego

.














Nada contra uma semana de trabalho, aliás, se há uma coisa que adoro fazer é trabalhar. E trabalhar muito é sempre muito bom, principalmente quando se faz o que gosta, que é o meu caso. Porém, ainda estou sob o efeito anestésico do último feriado, que juntou 21 e 23 de abril, presenteando-nos com cinco dias de descanso. Melhor que Carnaval, pois foram cinco dias de descanso mesmo, sem gritarias, música alta, foliões enlouqecidos e Paraty lotada.

Claro, eu estava em Paraty no feriadão. E curti a cidade tranquila, praticamente vazia, em comparação aos últimos festejos por lá – Réveillon e Carnaval. Foi possível almoçar em restaurante vazio, saborear um self service sem fila, sentar à mesa do Coupé todas as noites para tomar chopp, passear pelas pedras sem disputar espaço. Ah, sem contar o camping, onte estavam minha barraca e mais duas ou três. Tudo meu!

Em Trindade, sombra e cerveja gelada – um luxo em outros feriados do ano; na areia da Jabaquara consegui ler um livro inteiro. Tentei até um passeio de caiaque, mas ainda não tenho o total domínio do meu corpo, portanto, o medo me congelou e pedi pra sair antes de dar trabalho. E o biquíni... nada a reclamar. Cumpriu direitinho seu papel.

Já estou com saudade; é muito boa esta sensação de descanso merecido. Mais um fim de semana se aproxima e pelo visto vou trabalhar bastante. Há muita coisa a fazer. A próxima folga só em junho. Que haja bastante trabalho para que a sensação se repita.
.

Um comentário:

c i n t i a disse...

Ai que delíciaaa!
Me leva na próxima???

bjs!