22 de março de 2010

Dia Mundial da Água

Muito blá blá blá e um futuro incerto

Estou desde ontem tentando descobrir o que escrever para o Dia Mundial da Água. Afinal, defensora de toda e qualquer proposta de proteção e preservação, penso que tenho o compromisso de me manifestar, seja como for. Mas acabei indo dormir sem achar nada pra falar. Hoje, 22 de março, Dia Mundial da Água, novamente à caça de algo pra dizer, abro a internet para consultar os portais e ao procurar pelo que os noticiários on line traziam a respeito, minha falta de inspiração deixou de ser uma culpa, imediatamente.

Dos maiores portais visitados, o único que traz uma alusão ao dia é o UOL, que adotou a cor azul de fundo. No IG, há apenas uma publicidade, da Ambev, sobre o Movimento Cyan, uma campanha para mobilizar a sociedade sobre a importância do uso consciente da água. No G1, nada; no Terra, nada.

Como jornalista e consequentemente formadora de opinião, sempre me obrigo a falar sobre questões fundamentais, como as ambientais, por exemplo. Mesmo que sejam duas linhas. A informação depende primariamente das mídias para que seja disseminada e alcance o maior número de pessoas. É um compromisso de educação, que infelizmente não vende, como o interminável caso Nardoni, estampado em todas as páginas principais dos portais. Chatinho.

O Dia Mundial da Água é uma data simbólica, claro. Foi criado pela Organização das Nações Unidas - ONU, em 1992, na tentativa de promover uma discussão sobre os temas relacionadas a esse recurso natural, que está ficando cada vez mais escasso. Dois terços do planeta Terra são formados por água, mas apenas 0,008% de toda a água do mundo é potável, o que torna qualquer debate no mínimo necessário.

Infelizmente, discussões, debates, manifestações, medidas de combate ao desperdício e campanhas só são lembradas uma vez por ano, mas nada é realmente levado a sério. É só olhar para os lados: temos aí a possível transposição do Rio Paraíba para melhorar o abastecimento em municípios de São Paulo; lagos e lagoas são praticamente aterrados por empreeedimentos erguidos às suas margens; rios perdem suas matas ciliares para calçamentos e canalizações; lixo, muito lixo, é despejado nos mais diversos mananciais sem o menor constragimento.

Tudo o que deveria ser colocado em prática durante o ano inteiro torna-se apenas uma questão levantada em um dia do ano e fica nisso. Nem o pouco que vemos é pauta para os órgãos de imprensa; pelo menos foi com o que me deparei na internet hoje.

As discussões são rasas, não avançam muita coisa e menos ainda se vê de resultados efetivos. Costumo dizer que fico com preguiça ao ver as agendas de comemorações, que nunca me atraem. É porque não há por traz desse movimento nenhum esforço governamental de educar a população para programas e projetos que vão trazer soluções reais. É porque falta aos mesmos governantes essa mesma educação, informação, melhor nível cultural.

Olhe para o lado, de novo. Observe seu prefeito, seu secretário de Meio Ambiente. O que ele conhece, de verdade, das necessidades ambientais do seu município? Existe alguma proposta de trabalho nessa área, que contemple o meio ambiente em todos os aspectos? O que tem sido feito de efetivo para promover a educação da população? Posso responder pra você: nada, ou quase. Sabe por quê? Eles não sabem o quê muito menos como fazer. E é deles que dependem as maiores inciativas, pois recebem a maior verba, têm o comando e o poder para investir em educação, ou em conscientização, como muitos preferem chamar. E o mais triste de tudo isso: eles foram eleitos por nós.
.

6 comentários:

Albucacys disse...

Vale de fato pensar em quem estamos elegendo e se eles satisfazem nossos anseios de cidadão.
Muitos Governantes têm feito em prol das mais diversas causas, mas, saúde e educação, parece não convir que sejam melhorados. Por quê? Porque o povo na ignorância continua adoecendo em todos os sentindos e mantendo-os onde estão com as infidáveis e não realizadas promessas de melhoramento.
Sem mencionar a questão dos que igualmente se beneficiam com tais posições.
Será por isso que as verbas são direcionadas para a publicidade e realização de outras coisas?
Bom ser lembrado sobre isso, sempre e divulgar o máxmo nossa posição.

Carol Bentes disse...

O Dia Mundial da Água, como muita coisa que a ONU criou com boa intenção para nos lembrar de um compromisso, ou nos fazer refletir, passou a ser tratado de forma superficial.
Por ter um dia específico, passou a ser valorizado somente naquele dia. Ou nem isso.
É realmente uma pena que a mídia, com todo o seu poder, tenha dado preferência a esses assuntos "de ibope" aos assuntos "de conteúdo".
Será que estamos esquecendo da responsabilidade que temos? Afinal, as ações que devemos tomar para "salvar o planeta" não são mais em favor de nossos filhos e netos, e sim a nosso próprio favor. Disso depende nosso bem estar, nosso futuro, que começa agora.

Carol Bentes disse...

O Dia Mundial da Água, como muita coisa que a ONU criou com boa intenção para nos lembrar de um compromisso, ou nos fazer refletir, passou a ser tratado de forma superficial.
Por ter um dia específico, passou a ser valorizado somente naquele dia. Ou nem isso.
É realmente uma pena que a mídia, com todo o seu poder, tenha dado preferência a esses assuntos "de ibope" aos assuntos "de conteúdo".
Será que estamos esquecendo da responsabilidade que temos? Afinal, as ações que devemos tomar para "salvar o planeta" não são mais em favor de nossos filhos e netos, e sim a nosso próprio favor. Disso depende nosso bem estar, nosso futuro, que começa agora.

theo disse...

oi gio,muito legal seu artigo,ainda mais pra min que sou ecologista de coração,quero dizer aqui tamben que é uma pena as pessoas comuns,como eu,que não são detentores de poder para realizar grandes campanhas educativas ou coisas correlatas,enfim,mas que ainda fazem uso irresponsavel de agua,por exemplo,a famosa "vassoura hidraulica",na minha rua temos duas vizinhas que ainda não acordaram para tal fato,ou talvez não estão nem ai,pois,lavam o quintal quase todo dia e tamben a calçada,imagino que não tem mais campanha que de jeito nestas duas,penso que somente se houver uma lei que venha a penalizar{doer no bolso}realmente as pessoas que fazem mal uso é que talvez tenhamos um pouco de respeito com o uso consciente da agua,concordo totalmente com o fato de politicos não darem a minima para o assunto,mas tem muitas pessoas que tamben não fazem a sua parte,que pode ser muito pequena individualmente,mas de grande impacto positivo no meio ambiente.bj,théo.

Claudio Carvalho disse...

Há muito tempo pessoas que podemos classificar como visionárias especiais têm denunciado a questão.
Poucos tem ouivido ou pior. Tomado atitudes fimes, consequentes e sem apoio da grande midia colhendo resultados a exemplo do Greenpeace.
Em Volta Redonda, das organizações governamentais até ao Poder Público Municipal ninguém faz nada, quando faz é pura jogada de marketing,coisa pra inglês ver.
Os riachos e córregos da bacia hidrográfica do Paraíba é uma rede de esgoto ao ar livre, o próprio Paraíba é um vazadouro de lixo, até ornamentação do Natal passado você encontra jogado pelas margens do rio.
Do jeito que anda as coisas talvez os Maias tenham razão.

c i n t i a disse...

Realmente é muito triste. Há um despreparo total. As pessoas nunca imaginaram uma vez na vida passar por uma situação assim.
Acabar a água??? Como assim? Geleiras derretendo? Hã?! Efeito estufa? Meu Deus, o que é isso?!?!

Até todos se comprometerem pode ser tarde demais.