5 de janeiro de 2010

Saudade da serra

Quando vejo os topos das montanhas cobertos por nuvens brancas de chuva, me dá saudade de Visconde de Mauá. Saudade de pinga com mel e pés congelados. Saudade de caminhada de manhãzinha pra chegar cedo à cachoeira Santa Clara. Saudade do pastel do bar de Maromba. Saudade do camping no Albergue da Juventude de Maringá. Saudade do cheiro de mato molhado ao acordar e abrir a janela (ou o fecho da barraca).

Não frequentei os distritos da serra junto com as comunidades hippies, mas tive o prazer de caminhar pela estreita ‘rua principal’ de Maringá sem ver tanto comércio à sua margem. Cheguei a curtir a escuridão da estrada, ao voltar de Mauá para Maringá a pé. Cheguei a comer aquele tradicional ‘bolinho da vovó’ na subida da serra. Também passei muitos apertos nas viagens noturnas, quando era uma verdadeira aventura vencer a neblina até vislumbrar lá embaixo as luzinhas da vila de Visconde de Mauá.

Há muitos anos não subo a serra. Há muito tempo não fico à beira do Escorrega tentando tomar coragem – e nunca desci. Faz anos que não tomo minha primeira cerveja do fim de semana naquele boteco na entrada de Mauá.

Saudade. Tenho vivido muitas saudades. Tenho comparado muito do que vejo hoje com momentos que passei em algum lugar do meu passado. Não dá mais pra retornar à Visconde de Mauá, até porque a vila não é mais a mesma; as pessoas e os interesses por lá já não são os mesmos. A Giovana que passou tantos feriados naquele lugar também já não existe. Passaram-se sonhos, desejos, prazeres. Não os mesmos momentos, com os mesmos amigos, a mesma turma.

Passou. Tudo passa. Se transforma. Se renova. Renasce. Melhora. Eu mudei. Visconde de Mauá, Maringá e Maromba mudaram. Volto lá, sim, com certeza. Mas não espero rever nem reviver nada. Espero conhecer, como estou me conhecendo.
.

3 comentários:

Edma Nogueira disse...

Giovana, costumo dizer que Mauá/Maringá/Maromba são minha Santíssima Trindade. O cheiro do mato molhado, a primeira e as muitas últimas cervejas, as caminhadas, a pinga com mel, o pastel (de Maringá, o melhor que há!), aquela primeira visão maravilhosa da Vila de Mauá... estarão sempre por lá. Vamos??????

Lincoln disse...

..essa eu gostei! Essa é a viagem!
Bj.

theo disse...

QUE MARAVILHA ESTA TUA LEMBRANÇA,ME ATREVO A DIZER QUE O SENTIMENTO É RECÍPROCO,QUE COISA BOA ESTA LEITURA!BJ,THEO.