28 de outubro de 2009

Dendrólatras, ao trabalho!


A possibilidade de ver Volta Redonda mergulhada em meio a milhares de árvores é algo tão fantástico que é até difícil acreditar. Falar em reflorestamento numa cidade onde ainda vemos sofás, geladeiras e todo o tipo de móvel abandonados nas margens dos rios parece utópico. Mas, creia ou não, caro leitor, é o que pretende o Programa Municipal Florestas de Volta, que está sendo implantado pela Secretaria de Serviços Públicos.

Dendrólatra confessa, fiquei encantada com o programa, principalmente porque ele prevê uma das Florestas Urbanas Setoriais em frente à minha casa. Bom demais, né? Meu bairro, o Vila Rica, juntamente com o Santa Cruz, serão os primeiros comtemplados com o plantio de 30 mil mudas. Para garantir a consolidação das áreas revegetadas, a SMSP treinou e formou agentes comunitários, que atuarão como multiplicadores das propostas ecológicas do programa. São pessoas de todas as idades, representantes de escolas públicas, igrejas, times de futebol, associação de moradores. Parece melhor ainda, que tal?

É tudo o que Volta Redonda precisava há tempos, carente que é de políticas públicas ambientais. Florestas fabricam água, equilibram o clima e a temperatura, purificam o ar, protegem encostas, enfim, tudo de bom. Mas, infelizmente, temos que admitir que ainda não há educação ambiental suficiente na cidade para comportar um programa desse porte. No meu bairro, por exemplo, há um número avassalador de passarinheiros - esse pessoal que insiste em prender bicho que voa em gaiola. Não é raro, num breve passeio, darmos de cara com alçapões armados. Me arrepio só de imaginar vê-los montados nas árvores que prometem atrair pássaros pra cá.

Portanto, a fiscalização deverá ser impecável; com certeza nossos agentes comunitários terão um sem número de dores de cabeça pela frente. Educar, fiscalizar e punir (se for o caso) é o básico do básico a fazer, porém não dá pra abrir a cabeça do cidadão e enfiar uma nova cultura lá dentro. Isso demanda tempo e muuuito trabalho. De minha parte, estou à disposição.
.

2 comentários:

RaquelAlmeida disse...

Este trabalho de formação de agentes ambientais dentro da comunidade é fundamental. Só assim mesmo pra funcionar! Tomara que eles atinjam de verdade a população do entorno e que as atividades de Educação Ambiental sejam contínuas. Quanto mais gente comprometida, melhor!
Beijos.

Thaissa Costa disse...

Temos q admitir tbm que entre existir o projeto e tudo virar realidade tem um grande espaço de tempo.