18 de agosto de 2009

Veríssimo no Twitter, hoje

.
Você e eu estamos na Terra para nos reproduzirmos. Tudo o mais que fazemos, tudo a mais que nos acontece.
Nossa missão é transmitir os nossos genes, multiplicar a nossa espécie e dar o fora.
A Natureza só se interessa pelos nossos anos férteis. O que vem antes e depois é preparação e epílogo, ou entra no pacote como brinde.
Se a Natureza quisesse otimizar seus métodos, como um empresário moderno, já nasceríamos púberes e morreríamos assim que nossos filhos, que também nasceriam púberes, pudessem criar seus filhos (púberes) sem a ajuda dos avós.
Daria, no total, uns 35, 40 anos de vida, e adeus. O que resolveria a questão demográfica do planeta e, claro, os problemas da Previdência.
Mas a Natureza nos dá o resto da vida, infância, velhice, e todos os prazeres extra-reprodutivos, inclusive os sexuais, como um chaveiro.
É um prêmio pela missão cumprida
A laranjeira não existe para dar laranja, existe para produzir e espalhar sua própria semente.
A fruta não é o objetivo da planta frutífera, é o que ela usa para carregar suas sementes, é o seu estratagema.
Agradecer à laranjeira pela laranja é não entendê-la. Ela não sabe do que nós estamos falando. Suco? Doçura? Vitamina C? Eu?!
Você e eu ficamos aí especulando sobre o que a vida quer de nós, e só o que a vida quer é continuar.
Seja em nós e na nossa prole, seja na minhoca e na sua. Nossa missão, nossa explicação, é a mesma do rinoceronte e da anêmona.
Estamos aqui para fazer outros iguais a nós.
Isto que chamamos, carinhosamente, de "eu", com suas peculiaridades e sua biografia única, não é mais do que uma laranja personalizada
Um estratagema da Natureza, a polpa com que a Natureza protege a nossa semente e assim assegura a continuação da vida.
Enfim, um grande mal-entendido.
E os que passam pelo mundo sem se reproduzir? São caronas. Ganham o brinde mesmo sem merecer o pacote. A Natureza não discrimina.

.

Um comentário:

POESIA EM VOLTA disse...

Nossa,e eu achando que já tinha lido de bom dele. Lindo!