10 de agosto de 2009

CSN é multada em R$ 5 milhões por vazamento no Rio Paraíba do Sul

Às 19h25, no Último Segundo
A Secretaria do Ambiente do Rio de Janeiro determinou, nesta segunda-feira (10/08), que a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) será multada em R$ 5 milhões pelo vazamento do produto oleoso que atingiu o Rio Paraíba do Sul, em Volta Redonda, na semana passada. Além disso, a empresa receberá multas diárias de R$ 50 mil a partir desta segunda-feira enquanto não solucionar o problema. Ainda cabe recurso.

De acordo com o Inea, ambas as punições foram estabelecidas com base no artigo 96 da lei 3467/00, que dispõe sobre as sanções derivadas de condutas lesivas ao meio ambiente. Na última sexta-feira (07/08), a secretária do Ambiente, Marilene Ramos, já havia determinado que a CSN contratasse uma empresa de auditoria ambiental para as investigações sobre o vazamento. O trabalho também será acompanhado por perito a ser contratado pelo Inea especialmente para esta tarefa.

O rio Paraíba do Sul é responsável pelo abastecimento de 85% da população da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O vazamento começou no domingo (02/08).
Esta é a segunda vez, em pouco mais de um mês, que a CSN se envolve com problemas ambientais.


No fim de junho, uma espessa nuvem de fuligem de carvão cobriu parte da cidade de Volta Redonda, no centro-sul do Estado do Rio. A poluição foi causada por um problema no alto-forno 3 da Usina Presidente Vargas.

A CSN afirmou, em nota, que o vazamento da fuligem foi causado por "uma sobrepressão no topo do forno", que provocou a abertura das válvulas de alívio, deixando escapar o material poluente por dois minutos e 19 segundos. Na ocasião, o Inea também autuou a empresa.
.

2 comentários:

Ítalo de Paula disse...

Gostei do blog!

Parabéns !

Cintia disse...

COPIEI PRO PRESERVBLOG!
devidamente creditado ; )