7 de maio de 2009

Justiça condena carroceiro por agredir cavalo

Matheus Pichonelli
da Agência Folha


Um homem acusado de agredir um cavalo em uma rua de Florianópolis (SC) foi denunciado, levado a julgamento e condenado a quatro meses de prisão em regime aberto por maus-tratos contra animais.

Elias Voltz, carroceiro de cerca de 35 anos, que ganha a vida catando latas e papelões, foi acusado de chutar e tentar arrastar um dos cavalos que o levava numa charrete pelas ruas após o animal cair de cansaço durante a travessia entre dois bairros. Voltz negou a agressão, mas um laudo veterinário apontou indícios de espancamento.

O cavalo estava, segundo o documento, "sem forças, anêmico, debilitado e com lesões pela extensão do corpo", sem ferraduras. "Não há dúvida de que houve uso abusivo, inadequado e insensível do animal. Maltratado, portanto", disse, na sentença, o juiz Samir Saad, do Juizado Especial Criminal de Florianópolis. A pena foi substituída por prestação de serviços à Apae.

O caso ocorreu em 2008 e a decisão foi publicada anteontem. À época, fotos do cavalo e do carroceiro foram publicadas por jornais locais. Ao se defender, Voltz disse ter sido muito xingado e que foi até "intimado" a brigar por quem prometia vingar o cavalo --que ficou, afinal, com a prefeitura. Voltz responde ainda a outro processo por agressão-- a uma égua, que empacou numa rua da capital.

.

Um comentário:

cintia sibucs disse...

nossa, então ele é reincidente?
os animais não tem culpa de seus donos serem acéfalos. tsc, tsc.