2 de novembro de 2008

"Televisão consciente para um Brasil diferente"

.

Em tempos de Isabelas e de Eloás, eis que sou apresentada à campanha “Quem financia a baixaria é contra a cidadania”, criada para fiscalizar a programação de TV no Brasil, desde o entretenimento até o jornalismo. Trata-se, na prática, de um instrumento democrático que possibilita à população participar da construção de uma televisão cidadã. A campanha foi criada em novembro de 2002, por iniciativa da sociedade civil e da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Por telefone (0800 619 619) ou pelo site
www.eticanatv.com.br, qualquer pessoa pode denunciar um programa ou algo que tenha visto na TV que o desagradou ou que julgou anti-ético.

O desrespeito aos direitos humanos pode ocorrer através de cenas e informações que ferem a dignidade. Os exemplos mais comuns são:

* Discriminação e preconceito racial, sexual, religioso e de pessoas com deficiência;
* Afronta à dignidade humana, que ridiculariza pessoas;
* Estímulo à erotização infantil;
* Exposição abusiva de crianças e adolescentes;
* Exploração sexual;
* Apologia ao crime;
* Divulgação de imagens de internos ou suspeitos;
* Imputação de crime sem provas ou condenação;
* Exploração da imagem de pessoas doentes ou com deficiências;
* Restrição da liberdade de expressão à sociedade em geral;
* Criminalização dos movimentos sociais.

As tvs brasileiras são concessões públicas, administradas por empresas ou grandes grupos empresariais que pensam que podem utilizar o espaço como bem entendem. Não podem.

A sociedade tem todo o direito de intervir e exigir uma programação de qualidade e a campanha pela ética na tv é um grande passo nesse sentido. Somos nós, milhões de brasileiros que devemos nos (re) unir para que a programação dos canais de televisão cumpram seu papel social de informar e entreter sem ferir a dignidade e os direitos humanos, sem Pânicos, Ratinhos, Zorras e Klebers (este já está fora, por força de ação do Ministério Público, amém).

Então, meus caros quatro leitores, agora é com a gente. Clique aqui, favorite o site e faça também a sua parte.


.

2 comentários:

Alvaro Britto disse...

Maravilha, Giovana.
A sociedade precisa fiscalizar a qualidade dos meios de comunicação de massa. Esse é o caminho da verdadeira democracia.
Beijos

Frávia, a dona do brog disse...

Tamo junto! Ampliei... agora ta lá no brog.
Beijooo