18 de maio de 2008

.
........"O chamado para a morte é realidade contínua e constante em nossa vida. Todos os dias morremos um pouco buscando nos tornar mais e mais o que nascemos para ser. O envelhecer traz cada vez mais a certeza do precisar morrer. Morrer fundamentalmente para o circunstancial, para o supérfluo, para o perecível, morrer para os conflitos alimentados por intolerância descabida, condutas narcíseas e tantas outras impropriedades."


Maria Zélia Alvarenga - Concepção Mítico-Simbólica
Espiritualidade e Finitude - Aspectos Psicológicos - p. 137
Paulus - 2006

Um comentário:

Wma Toraya disse...

adorei este pensamento! bjs soll